3 Comentários

Kangoku Gakuen – porque estudantes prisioneiros e um conselho estudantil sadista podem sim montar um suspense comédia.

Cruel orgulho que tortura os corações feridos. Feridos de mágoas, tristes corações aqueles que conheceram a felicidade e a perderam por simples vaidade.” – Dario Jr.

história.

            O Colégio Hachimitsu, conhecido por seus rígidos padrões acadêmicos e código escolar ainda mais rígido, está fazendo uma mudança gigante este ano: pela primeira vez na história, eles estão permitindo que garotos sejam aceitos. Fujino Kiyoshi começa seu primeiro dia de aula e fica chocado ao descobrir que só há outros quatro garotos na escola toda, tendo uma média de duzentas garotas para cada garoto. E para seu desânimo, nenhuma das mil garotas conversaram ou até reconheceram eles. Além disso, Kiyoshi e os garotos estão para conhecer o “Conselho Estudantil Oculto” que vem ameaçando as estudantes quanto a interação com os garotos novatos.

comentários sobre a série.

            Deixem-me dar uma pequena introdução do que foram os primeiros três capítulos: os garotos são um bando de pervertidos e são ignorados por todas as garotas. Somente Kiyoshi conseguiu falar com alguma. Ele tinha uma borracha com um rótulo de lutador de sumô e uma garota de sua sala, viciada em sumôs, viu-a. Eles trocaram uma ideia e acabaram marcando de ir a uma luta de sumôs, já que a garota achou que ele também era fã. Ele aceitou, mas só porque queria sair com ela.

No mesmo dia, os garotos resolveram espiar as meninas no banho. Contudo eles foram pegos pelo Conselho Estudantil Oculto (aliás, eles estavam tentando invadir o banheiro com as meninas lá. Já estavam até nus). Como sentença por serem capturados, o Conselho os levou a uma prisão que tem na própria escola onde passariam, no mínimo, um mês inteiro.

Kangoku Gakuen é uma história de leitura simples e frenética. Você lê os capítulos voando, visto que ela é construída com uma narrativa fácil e é uma história cheia de suspenses e de cliffhangers – tipo quando o final do capítulo deixa um super gostinho de quero mais –, que fazem você se sentir obrigado a ler o capítulo seguinte na mesma hora.

Mas com aquele começo, a história não parecia nada demais.

Ela já tinha mostrado de início que haveria suas várias cenas de fanservice com cenas bem picantes e havia dado uma ênfase no fato de que os cinco garotos eram uns pervertidos extremos muito idiotas e que iriam fazer besteira cedo ou tarde. Isso me fez pensar que a história seria muito previsível, monótona, cheia de tentativas dos garotos de espiar as garotas, muito fanservice inútil e cenas de comédia forçadas dentro disso aí.

Quebrei a cara.

             Só depois que os garotos são presos que a história começa mesmo. O primeiro arco da série dura mais ou menos três volumes e meio e narra a tentativa do Kiyoshi de conseguir fugir da prisão no dia da luta para sair com a garota com quem conversou no primeiro dia. Durante este mês que eles passam na prisão, conhecemos as personagens no geral e notamos que elas têm personalidades bem extravagantes e isso acaba sendo um dos pontos fortes da série, se não o maior.

Poxa, os caras são todos malucos. Um deles é um otaku completo que é totalmente masoquista. Um outro, que também adora ser maltratado, tem uma criação de formigas e trata eles como filhas enquanto ele está preso! Os membros do tirano Conselho Estudantil Oculto são garotas que desprezam os homens por acharem-nos nojentos. Por causa disso maltratam os prisioneiros o tempo todo. E os garotos que, em sua maioria, adoram apanhar, principalmente da sadista vice-presidente, acabam por curtir o tratamento recebido pelas garotas. É bizarramente hilária a situação.

Os acontecimentos que surgem durante a interação deles na série levam à cenas extremamente engraçadas e situações ridículas que nos fazem dar altas risadas. Mesmo assim, a correria do Kiyoshi em achar algum meio de fugir da prisão no dia em que sairia com a menina viciada em sumôs mantinha o ritmo da série muito acelerado e cenas tensas e de bastante suspense aconteciam para te manter totalmente fisgado na história. Elas tinham um tom mais sério que te tiravam daquele ar cômico na hora.

Kangoku Gakuen também é cheio de plot twists, ou seja, sempre acontecem coisas que fugiam das expectativas, o que prendia mais ainda o leitor na história. Mesmo que às vezes umas certas coisas pudessem acabar sendo previsíveis, esses plot twists ajudam muito na parte do suspense. Afinal de contas, quando uma coisa dava errado, era pra destruir tudo de vez. Muito bom.

opinião pessoal.

            Uma pena que os scanlators estão atrasados na tradução de Kangoku Gakuen. Não é uma distância muito grande, são só uns doze ou treze capítulos, mas mesmo assim é triste. A série é nova, deve ter feito um ano agora na metade do ano, mas é muito boa. Eu li rapidinho os quarenta e poucos capítulos lançados até agora e posso dizer que me diverti bastante.
             A excentricidade dos personagens me fez rir muito. Só um dos garotos, o Gakuto, que apanhava não importando quem fizesse a merda (okay, noventa porcento das vezes) e isso era engraçado demais. Os malditos eram pervertidos demais. Além de alguns gostarem de apanhar, outros aproveitavam a surra que levavam pra olhar a calcinha ou encostar nos peitos das membros. Tipo, cuidar de si mesmos que é bom, nada! O próprio diretor da escola é um maldito pervertido que sempre que a presidente do Conselho ia falar com ele acabava deixando ela notar algum tipo de material pornográfico dele.

O Kiyoshi mais pra frente na história consegue um aliado na tentativa de fugir da prisão e as cenas em que eles tentavam preparar as coisas para a fuga eram sempre interessantes. Os planos deles eram supersérios e alguns sacrifícios feitos por eles eram demais. Isso mantinha meus olhos na tela. Sempre acabava tendo algum fato cômico em cenas assim pra aliviar a tensão.

Bem, Kangoku Gakuen é bem divertido. Além do fato de ser engraçado e rápido de ler, o traço é muito da hora e tem uma história boa que é bem original para mim. Não é algo extraordinário, mas é bem montada a ponto de te prender no enredo constantemente. Palmas para o autor por conseguir isso usando tanto ecchi.

Obrigado por lerem e não deixem de comentar.

Sobre gabiruu

15 anos. Nerd assumido. Adoro ler. Amante de animes de Drama e de Esporte. Pratico Karatê e corro nas férias. Pretendo ser um webdesigner no futuro.

3 comentários em “Kangoku Gakuen – porque estudantes prisioneiros e um conselho estudantil sadista podem sim montar um suspense comédia.

  1. Em breve vou começar a acompanhar esse ai, vocês poderiam fazer uma review de BTOOOM! seria legal para outras conhecerem, omg scan traduziu ate o Cap 12, mas tem muitos caps em inglês.

    • Opa, valeu por ler e se divirta lendo. É uma série bem pra descontrair. É boa, uma narrativa nada complicada e ainda tem um traço da hora. Segunda pessoa que começa a ler após ler minha review. A primeira adorou. Espero que você curta também.

Faça um comentário, é de graça

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: